Faixa Abdominal em Lycra

Faixa abdominal feminina  em lycra, tecido duplo, com colchetes frontal, com 12(doze) barbatanas (hastes flexíveis em metal fixadas na lycra e revestidas com elástico) distribuídas por toda a peça, que irão proporcionar maior sustentação. Contém uma faixa de elástico reforçada na região da cintura para acenturar o corpo.
Observação: as peças são confeccionadas nos tamanhos do PP ao GG e também peças sob medida sob encomenda.
Indicada para uso diário, auxilia na modelagem da cintura. Potencializa o resultado das atividades físicas.

 

MÁSCARA ANTI-RONCO

Diminui o ronco, proporcionando melhor qualidade do sono. Contraindicada para quem tem apneia do sono.

RONCO

Segundo o médico e escritor Drauzio Varella o ronco é um ruído provocado por estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores durante o sono. Esse estreitamento dificulta a passagem do ar e provoca a vibração dessas estruturas.

O ronco pode ser considerado normal, quando a pessoa está dormindo em decúbito dorsal (de costas), por exemplo, porque a musculatura da garganta fica mais flácida e a língua cai um pouco para trás. Mas, é classificado como patológico, quando ocorrem grandes vibrações e ruído intenso.

O ronco pode, ainda, ser sintoma da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), patologia caracterizada por parada respiratória com duração de pelo menos dez segundos nos adultos, e dois ou três segundos nas crianças.

Causas

* Flacidez nos músculos da boca e da garganta;

* Amídalas e adenoides hipertrofiadas;

* Desvio do septo;

* Pólipos no nariz;

* Palato em forma de ogiva;

* Rinite, sinusite e obstruções nasais;

* Palato mole e úvula aumentados;

* Queixo retraído;

* Envelhecimento.

 Fatores de risco

Funcionam como fatores de risco ou agravantes do problema:

* Pescoço mais grosso e mais curto;

* Obesidade;

* Ingestão de bebidas alcoólicas;

* Uso de remédios para dormir ou de calmantes;

* Dormir em decúbito dorsal;

* Excessos alimentares antes de dormir;

* Refluxo gastroesofágico;

* Tabagismo.

 Diagnóstico

O diagnóstico da apneia pressupõe a participação de especialistas em diferentes áreas. A conduta inicial é levantar a história do paciente, ouvindo uma pessoa próxima, pois dificilmente quem sofre de apnéia tem consciência do que lhe acontece durante o sono. O exame físico criterioso feito a seguir e a polissonografia ajudam a fechar o diagnóstico.

Tratamento

Nos quadros mais leves de ronco e apneia, controlar os fatores de risco e a posição de dormir pode ser uma forma eficaz de tratamento. A MÁSCARA ANTI – RONCO ORTOESTÉTICA é ideal, pois ajuda a manter a boca fechada e a projetar a língua um pouco para a frente.

A indicação de cirurgia no tratamento do ronco e da apneia do sono tem de ser muito bem avaliada.

 Recomendações

* Roncar não é sinal de sono reparador. Se as pessoas próximas se queixam de que você ronca, leve-as a sério e procure assistência médica especializada;

* Fique atento: os roncadores podem ser tomados por crises de sono incontrolável durante o dia, o que certamente irá prejudicar seu desempenho no trabalho e torná-lo mais vulnerável a acidentes;

* Evite ingerir álcool e dê preferência a alimentos mais leves, especialmente antes de dormir;

* Recorra a artifícios que possam ajudá-lo a dormir de lado e não de barriga para cima;

* Mantenha seu peso em níveis ideais;

* Pratique exercícios físicos;

* Não fume.

Saiba como e por que usar cinta após o parto

Alguns médicos recomendam o uso de cinta modeladora pós parto, pois ela traz muitos benefícios na recuperação do corpo das mamães, tais como: diminuição do inchaço e flacidez; ajuda no retorno dos órgãos internos aos seus lugares; firma os tecidos, dando mais segurança para a mulher se locomover, tossir ou dirigir, principalmente depois de uma cesárea; além de delinear a silhueta do corpo.

Seu uso constante deve ser aprovado pelo médico, pois pode dificultar alguns movimentos dos músculos abdominais e interferir no fluxo sanguíneo.

Por outro lado, não usar a cinta pode levar a formação de seroma, ou seja, acúmulo de líquido no local da cesária.

Quando usar a cinta pós-parto?

Seu uso não é obrigatório, mas muitas mulheres relatam que se sentem mais seguras e realizadas ao usá-la. No caso de cesárea, seu uso pode começar logo após o parto e se estender até por volta dos 3 meses do bebê. Em caso de parto normal, é recomendado usar a cinta pós-parto só depois do 1º mês porque é quando o útero já está no seu devido lugar.

Qual o melhor modelo?

Existem vários modelos que podem ser escolhidos conforme a preferência. A orientação é escolher o modelo mais confortável para seu estilo de corpo e hábitos, pensando na praticidade na hora de vestir e no uso diário.

Veja alguns modelos indicados:

Que tamanho usar da cinta pós-parto?

É importante que ela seja confortável e que não aperte muito. O ideal é tirar as medidas e consultar a tabela de tamanhos. Se ainda assim, não ficar bom, o indicado é ir até a loja e fazer os ajustes necessários para deixá-la o mais adaptada possível ao seu corpo.